Please use this identifier to cite or link to this item: http://dx.doi.org/10.23668/psycharchives.2237
Title: Relação Entre o Comportamento Alimentar de Pais e Filhos
Other Titles: Relationship Between the Parents and the Child’s Eating Behaviour
Authors: Homem de Melo, Sofia
Tapadinhas, Ana Rosa
Issue Date: 30-Nov-2012
Publisher: PsychOpen
Abstract: Objetivo: Compreender a relação entre o comportamento alimentar pais-filhos, relação esta que pode ser a chave para o desenvolvimento de estratégias de prevenção mais adequadas no campo da Obesidade e das Perturbações do Comportamento Alimentar. Método: Participaram no estudo 116 pais e respetivos 116 filhos de idades compreendidas entre os 8 e os 12 anos, que frequentam o 3º, 4º, 5º e 6º ano de escolaridade de duas escolas privadas da Zona da Grande Lisboa. Foram utilizados dois instrumentos: Inventário de Perturbação do Comportamento Alimentar (EDI-3) e o Inventário de Perturbação do Comportamento Alimentar para Crianças (EDI-C). Resultados: Verificou-se uma correlação significativa entre o comportamento alimentar dos pais e dos filhos ao nível das escalas do EDI, especialmente nos compósitos Risco de Perturbação do Comportamento Alimentar (r = 0,221; p = 0,017) e Desajustamento Psicológico Geral (r = 0,183; p = 0,050). Foi também verificada a relação entre pais e filhos em variáveis como o índice de massa corporal, IMC (r = 0,228; p = 0,014), atividades sedentárias [visualização de televisão (r = 0,238; p = 0,010) e uso do computador (r = 0,263; p = 0,004)] e atividade física (r = 0,342; p = 0,013). Conclusão: Estes resultados vêm realçar a importância dos pais agirem como coagentes na mudança dos comportamentos alimentares desadequados dos seus filhos, uma vez que, estes comportamentos são aprendidos, partilhados e por vezes mantidos no seio familiar.
Objective: To understand the parent-child eating behaviour relationship that could be the key for the development of more adequate prevention strategies in the field of Obesity and Eating Behaviour Disorders. Method: Participants were 116 parents and respective 116 children with ages ranging from 8 to 12 years, attending the 3rd, 4th, 5th or 6th school years at two private schools in the Lisbon area. Two instruments were used: Eating Disorder Inventory (EDI-3) and Eating Disorder Inventory for Children (EDI-C). Results: The results show a significant correlation between parent-child eating behaviour at the level of the EDI scales, especially the Eating Disorder Risk Composite (r = 0,221; p = 0,017) and the General Psychological Maladjustment Composite (r = 0,183; p = 0,050). The parent-child relationship was assessed observing variables that contribute to healthy or inadequate behaviours, such as the body mass index, BMI (r = 0,228; p = 0,014), sedentary activities [(television viewing (r = 0,238; p = 0,010) and computer usage (r = 0,263; p = 0,004)], and physical activity (r = 0,342; p = 0,013). Conclusion: These results enhance the importance of parents as co-agents, supporting the change in their children’s inadequate behaviour, once these behaviours are learned, shared and often kept within the family.
URI: https://hdl.handle.net/20.500.12034/1871
http://dx.doi.org/10.23668/psycharchives.2237
Appears in Collections:Article

Files in This Item:
File SizeFormat 
pch.v1i3.36.pdf404,3 kBAdobe PDF Preview PDF Download


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons